Como foi minha vinda para Portugal

Eu sempre tive vontade de sair do Brasil e estava muito inclinado a fazer isso. Nos últimos anos comecei a estudar algumas possibilidades de imigração, mas nada sem destino certo. Nunca tinha pensado em Portugal como uma opção, mas aconteceu que uma empresa, Farfetch, me encontrou no LinkedIn e me mandou uma proposta de entrevista. Nunca tinha ouvido falar dessa empresa então fui pesquisar e decidi aceitar fazer a entrevista.
Após duas entrevistas me enviaram a proposta de trabalho que de imediato eu recursei, motivo: salário baixo. Eu tinha solicitado um valor (2.5x) maior do que tinham feito a proposta e foi me dito que a realidade de Portugal era outra, eu não acreditei e ao pesquisar eu tive a primeira surpresa, Portugal tem um dos menores salários da Europa. Se não bastasse isso a cidade de Porto, para qual eu fui, o valor salarial é menor! Depois de negociar e melhorar um pouco (não cheguei ao valor inicial que eu queria) decidi aceitar a proposta por dois motivos, trabalhar e viver fora do Brasil. Sabia que iria ganhar menos, o custo de vida é baixo aqui, mas “teria uma qualidade de vida” melhor.
A Farfetch contratou uma empresa para me ajudar com o visto e com a realocação em Porto e foi aonde meus problemas começaram. Essa empresa fez um péssimo trabalho onde eu tive que deixar de lado o que eles falavam para documentação e seguir o que estava no site do consulado Português. Depois de 3 meses consegui tirar meu visto e vim para Porto onde começou o meu maior problema. Aluguei um quarto por uns dias (AirBNB) e comecei a procurar um apartamento com auxílio da empresa contratada, contudo tive dificuldades para encontrar um apartamento do meu gosto (não gosto de coisa antiga) pelo simples fato de que a empresa não estava ajudando pois existem apartamentos mais novos.

Vou deixar para explicar mais daqui a pouco.

Antes de começar a trabalhar você precisa de um documento chamado NIF (Número de Identificação Fiscal) e é possível fazer em um órgão do governo chamado FINCANÇAS que está praticamente em todos os principais bairros do Porto. Fui até esse órgão para solicitar o meu documento e agora meu problema ficou sério pois para conseguir esse documento existem duas maneiras:

  1. Representante legal – Alguma pessoa com documentação legal no país deve ser responsável por você. Eu vim sozinho, sem conhecer ninguém, não tinha ninguém que pudesse fazer isso para mim. Perguntei se a empresa, Farfetch, não poderia ser o representante e eles me informaram que não. Eu tinha que conseguir porque meus colegas brasileiros conseguiram.
  2. Com um contrato de morada – Aqui volto ao problema de encontrar um apartamento. Acabei encontrando alguns que eu gostei e na hora de tentar alugar começaram as perguntas
    1. Tem um fiador? Sou novo no país e não conheço ninguém
    2. Tem NIF? Preciso do contrato de morada para tirar o NIF.
      1. Se não tem, não podemos fazer o contrato.

Nesse momento já tinham se passado 3 semanas sem trabalhar e pagando AirBNB comecei a ficar muito puto. Entrei uma situação de bloqueio, pois, precisava do documento para trabalhar e alugar o apartamento e para alugar o apartamento precisava do documento. Depois de muito pesquisar, sem ajuda da empresa, achei um apartamento e fui na imobiliária verificar e informei a minha situação. Eles aceitaram fazer um contrato de morada se eu pagasse 6 meses de aluguel adiantado e depois de 90 dias pagasse os outros 6 meses. Como eu estava puto pois a empresa (Farfetch) não me ajudou com nada, resolvei aceitar e pude começar a trabalhar.
Farfetch é uma empresa num estilo moderno (Google, Facebook entre outras) usa tecnologia de ponta, mas acaba aqui o encantamento. Uma empresa que está buscando profissionais brasileiros mas não estava preparada (não sei como estão agora), desde o RH até os times técnicos. O ponto final para mim foi quando descobri que a Farfetch mentiu para mim em alguns aspectos:

  1. Passagem aérea: eles pagaram para alguns brasileiros, mas não me pagaram
  2. Hospedagem: eles pagaram para alguns brasileiros, mas não me pagaram
  3. Custo de vida na cidade do Porto, não é tão baixo quanto falaram comparado com o salario
  4. Bônus que prometeram na proposta foi removido 1 semana depois que cheguei
  5. Cargo especificado não foi o que me disseram
  6. Entre outras

Somando tudo isso e o salário baixo, depois de 2 meses eu decidi começar a procurar outro emprego e mudei meu LinkedIn para cidade de Porto e comecei a receber muitas solicitações de contato de pessoas de RH de empresas de Portugal e Europa. Demorou apenas 10 dias para encontrar um novo trabalho que me pagasse o que eu queria (difícil achar, mas achei) e não pensei duas vezes e decidi mudar. Nessa nova empresa eles me deram todo o auxílio e documentação necessária que eu precisava para trabalhar.
Essa foi minha trajetória nessa aventura de tentar a vida fora do Brasil e isso não significa que você passara pelas mesmas coisas.

Resumindo:

Portugal é um país onde se paga pouco (salário mínimo nao chega em €580) media salariam na área de TI €2000 para um sênior. Ou seja, você está disposto a ter uma qualidade de vida diferente do Brasil? Aceita a ganhar menos? Está realmente disposto a sair do Brasil? Aceite a proposta. Mas se você está em dúvida pense bem pois Portugal não é mil maravilhas.
O mercado de trabalho aqui está agitadíssimo, existem empregos para todas as áreas em diversas empresas porem o salário é baixo.

Moradia:

Levando em consideração que eu aluguei um apartamento para mim e não queria dividir com ninguém então eu pagava tudo sozinho. Valor fora do centro do Porto para apartamentos de 1 ou 2 quartos entre €300/€650 depende da região

Internet / TV / Celular

Planos de €30/€40 por 100MB de internet, TV e incluía telefone em casa com minutos
Planos de €15 para 4G com 3GB de internet. Existe a opção de incluir tudo em único plano porem a operadora de internet que tinha vibra no apartamento era diferente da minha operadora de celular.

Agua / Luz / Gás

A luz e gás em Portugal são muito caras. Eu sozinho gasto em média €40/€50 de luz e gás (mesma companhia) e mais €20/€30 de agua.

Mercado

Se você fizer uma compra para o mês comprando marcas do mercado (sim isso é muito comum aqui, ou seja, ao invés de comprar uma marca famosa, por exemplo: Nestle, você compra a marca do mercado, onde você pagaria €2 pela Nestle pode pagar €0,80 pela marca do mercado) irá gastar em média uns €150.

Agora é só fazer as contas e ver se está disposto a encarar. Para saber qual o seu salário final liquido pode usar esse site do governo: http://www.financaspessoais.pt/ordenados-e-pensoes/calculadora-do-salario-liquido-2017

Você está disposto a tudo isso? Pense bem e decida!
Espero poder ter ajudado, pois essa foi a minha experiencia e não significa que voce passara por tudo isso. Espero poder falar em breve como foi a minha vinda para Irlanda 🙂

This is Tiago Balabuch's website, and this is a bit of copy about him. He is enthusiast, fascinated, passionate, fanatic by SQL Server and in the off-hours a Data Engineer who loves what he does and he is traveling in the cloud and surfing on the wave of the moment called Azure! Originally from Brazil and with encouragement from family and friends, Tiago moved to Europe in 2017 where lives in Ireland. In addition to being a data engineer, he is also active speaker in the SQL PASS events and keeps up to date on the key technologies and technical certifications. Tiago hold these certification MCT, MCSE - Data Management and Analystics, MCSA - SQL Server 2016/2014/2012. Simply psychedelic and manic he is just one more freak who likes SQL Server and its new features ...

Responda